O Design está na mesa - Parte l I


Morar no país com a culinária mais famosa do mundo e ter estudado e seguir com amor o design me levaram ao assunto de hoje: food design. Tive a coincidência de, nos últimos dias, ter me deparado com um completo report escrito pelo siteDezeen  em parceria com uma empresa de utensilios domésticos, que se tornou o guia das idéias aqui apresentadas. Como o tal report e o assunto são vastos (e muito interessantes), esse post será dividido em três partes, então convido todos a acompanhar e seguir onde essa história vai me levar...




Nunca o design e a alimentação andaram tão próximas e tão comentadas, como comprovação disso, durante a edição do Salone del Móbile de Milão deste ano foram inúmeros os trabalhos e eventos que relacionavam as duas áreas. A Feira Mundial Expo de 2015, que já está em fase de construção e será realizada aqui, em Milão, terá como um dos principais temas a alimentação.
A exploração do tema parte dos ingredientes, dos processos da cozinha, da culinária, ao design dos objetos e das próprias cozinhas, englobando também o serviço e a experiência de uma refeição seja em um restaurante ou em casa.




Os designers tem encontrado grande potencial na exploração da comida como material, mas principalmente como inspiração e reflexão, já que a preferência atual versa para uma alimentação mais naturalista, mais rústica, ou seja, o menos processada e adulterada possivel. Já nao estão mais em voga os restaurantes que criam aqueles pratos 'obra-de-arte', a chamada culinária molecular. Para um restaurante de destaque e realmente moderno, o importante agora é valorizar a experiência total da refeição, completando-a fisica e emocionalmente, de maneira até subliminar, usando o design e a arquitetura.  Estes novos restaurantes tem sido criados e pensados detalhadamente, desde cada cadeira e cada móvel, à sua disposição, o espaço e a sua relação cultural e estética com os alimentos oferecidos.






Além disso, a inspiração para restaurantes e alimentos mais simples e honestos, vem de uma retomada de valores mais antigos e do resgate de conhecimentos e técnicas do passado. Hoje em dia nos preocupamos muito mais em saber a proveniência dos nossos alimentos, desde o mais simples dos ingredientes. A preocupação com a valorização das culturais e tradições locais vem de encontro a essa mudança e só tem a acrescentar na qualidade das nossas vidas. A titulo de curiosidade, este próprio post foi escrito enquanto eu apreciava, ao mesmo tempo, um chimarrão gaúcho e um pan d'oro, uma variação do panettone típica italiana.

Thais Serafini, designer gaúcha que vive há um ano em Milão - Itália e adora a oportunidade única que é viver no país “berço” do design. Constantemente pesquisando, participando de eventos, procurando inspirações e refletindo sobre design, cultura e arte no cenário atual e também em suas direções para o futuro. Tudo isso e mais algumas divagações estão disponíveis em http://thaispserafini.tumblr.com/  
  
Fonte: Dezeen
(referência também aos autores de cada um dos produtos das fotos)

Categorias:

Gostou do post? Comente aqui

Mostrando 1 Comentario

Bela7/12/10

Thais, querida, adorei seu texto (de novo!!) e as imagens estão super bacanas!! Aquele balcão com tudo acoplado (pia, fogão,...) é muuuuito legal!
Basta ter mãos italianas para cozinhar bem e "mangiare bene"!!! Beijos!! Bela.

Reply ♥